Rx | Dr. Rodrigo Gorayeb

Rx

A radiografia é um dos exames complementares de diagnóstico mais requeridos em medicina. Baseia-se na utilização de radiação X que incide sobre determinadas estruturas do corpo que se querem analisar, atingindo uma película ou sensor próprios e colocados numa posição contígua às mesmas. Vão permitir ao médico observar a anatomia humana e auxiliar no diagnóstico e determinação do tamanho e local de determinadas lesões que estejam presentes. É um exame que não provoca qualquer dor e de rápida execução, o que contribui para a sua elevada requisição.

Na imagem radiográfica obtemos uma representação 2D com a escala de cores a variar entre o branco, cinzentos e preto. As estruturas brancas são radiopacas, isto é, não foram facilmente atravessadas pela radiação devido à sua elevada densidade – neste caso temos os ossos, próteses metálicas, piercings, etc. As estruturas acinzentadas ou a preto significam que a sua densidade é bem  menor e que a radiação conseguiu atravessá-las e atingir a película. Representam geralmente tecidos moles como músculos, ligamentos, trajectos nervosos, órgãos ou cavidades. As lesões radiográficas são traduzidas do mesmo modo, sendo que a sua identificação correcta vai depender não só da observação clínica e exames realizados, como da experiência do clínico. É importante não esquecer que a radiografia é apenas um meio complementar, nunca substituindo a observação, entrevista e exame clínicos.

As radiografias mais utilizadas em relação à coluna são a radiografia do tórax, abdómen, coluna, ombro, bacia e ortopantomografia (panorâmica dentária).

Geralmente não é recomendado para crianças abaixo dos 5-6 anos e grávidas pois a radiação X é ionizante e prejudicial à saúde humana. Além disso, apresenta a desvantagem de ser cumulativa geneticamente, podendo trazer efeitos prejudiciais à manutenção da saúde. Por outro lado, é um exame extremamente útil mas limitado pois além de distorcer a imagem devido ao posicionamento da película ou do sensor (caso seja digital), é bidimensional e não tem utilidade para avaliar lesões que não sejam osteoarticulares.