O que é Lombalgia | Dr. Rodrigo Gorayeb

Lombalgia

É a dor que afecta a região inferior da coluna vertebral e é uma das dores mais comuns ao longo da nossa vida. Na maior parte dos casos é de causa desconhecida e a sua intensidade e duração variáveis. Este tipo de dor nas costas pode ser altamente limitativa da capacidade física do indivíduo, debilitando-o para as actividades profissionais e/ou desportivas. A lombalgia ocorre devido à compressão dos tecidos musculares, ligamentares e nervosos associados à coluna vertebral, seja por sobrecarga ao nível dos mesmo ou por desgaste dos discos intervertebrais.

Assim, a lombalgia pode surgir devido a movimentos específicos como também pode derivar do desgaste natural ao nível das articulações vertebrais. No entanto, a maior predisposição para a lombalgia proporcionada pelo aumento da idade não deve ser impeditiva da prática regular de desporto. O excesso de actividade física torna mais frequente esta dor especialmente se não houver regularidade na prática da mesma. A lombalgia provocada pela actividade desportiva tende a desaparecer ao fim de alguns dias. Caso a dor seja provocada pelo desgaste ao nível dos discos intervertebrais, esta tenderá a ser mais duradoura e recorrente. Poderá haver também artrite associada, assim como hérnias discais.

Entre as várias causas da dor lombar podemos encontrar as escolioses ou o estreitamento do canal espinhal, doença oncológica ou outro tipo de doenças, daí ser sempre necessária uma avaliação médica rigorosa.

Os sintomas deste tipo de dor variam bastante de indivíduo para indivíduo podendo iniciar-se súbita ou lentamente, adoptando uma manifestação que pode ser constante ou intervalada e desaparecendo espontaneamente após algumas semanas. Caso não alivie ou desapareça ao fim desse tempo e envolva ainda o aparecimento de mais sintomas, será conveniente recorrer a um médico especialista.

A lombalgia de uma forma geral pode manifestar-se em qualquer posição que o indivíduo adopte. No entanto, deitar de costas para baixo costuma aliviar a intensidade da mesma, ao contrário de permanecer de pé, sentar ou andar que tendem a agravar a situação.

É diagnosticada através de exame clínico objectivo podendo haver recurso a exames complementares ao nível radiográfico.

Já o seu tratamento poderá passar por fisioterapia, medicação ou cirurgia, sendo este último indicado em casos mais extremos e só quando se sabe rigorosamente a causa. A cirurgia poderá envolver a inserção de uma prótese discal entre as vértebras.

No que toca a prevenção recomenda-se a realização de exercícios aeróbicos tal como a natação e de reforço muscular ao nível lombar e abdominal. Adoptar uma postura correcta e evitar o tabaco é fundamental, assim como controlar o peso.